A Imigração no Brasil, por Rafael e Rodrigo

Só mais um site WordPress.com

8. A revolta de Ibicaba – 1857, Porque aconteceu? É possível afirmar que hoje em dia ainda exista trabalho escravo no Brasil. Pesquisem o caso da loja “Zara”, e qual era a condição de seus trabalhadores no Brasil. A dupla deve elaborar no mínimo 3 propostas para evitar o Trabalho escravo no Brasil atual.

Apesar de pensarmos diferentemente o trabalho escravo ainda existe no Brasil, a loja espanhola “Zara” foi processada por usar mão de obra escrava. Os trabalhadores precisavam de autorização para sair do prédio das oficinas da empresa. Recentemente, 15 escravos foram libertados, incluindo uma adolescente de 14 anos. Os escravos trabalhavam numas condiçoes péssimas, “em ambientes apertados, sem ventilação, sujos, com crianças circulando entre as máquinas de costura e a fiação elétrica toda exposta.” Para evitar o trabalho escravo no Brasil, o governo poderia aumentar a fiscalização, aumentar o tamanho das multas por usar mão de obra escrava e fiscalizar melhor as fronteiras do país porque a maior parte dos escravos vem da Bolívia e outros países da America Latina

Deixe um comentário »

A expansão das fazendas de café trouxe riquezas para os fazendeiros e estabilidade política ao Império, mas ajudou também a destruir parte da Mata Atlântica. Pesquisem para saber quanto resta da Mata Atlântica hoje. Em seguida debatam o assunto e deem sugestões para a restauração e preservação dessa mata.

Desde o início da colonização portuguesa no Brasil, a Mata Atlântica sofreu demasiadamente e passou a ter iminente risco de dizimação, uma vez que a principal atividade portuguesa em nosso território era a extração de pau-brasil, a árvore que deu origem ao nome da sétima maior economia do mundo.
A proximidade do litoral — a mata atlântica se extende justamente próxima às praias brasileiras, do Oiapoque ao Chuí — fez da mata atlântica vulnerável e suscetível ao desmatamento da região que justamente se desevolveu ao máximo.
E assim se sucedeu.
Durante séculos, a mata atlântica foi aos poucos devastada, deixando apenas sombras do passado. Com a modernização do país e o crescimento significativo das cidades e fazendas, o desmatamento chegou a um ponto mais íngreme, ao passo que hoje pouco mais de 7% resta da vegetação que antes era abundante por essas terras.
Para evitar a completa dizimação desse bioma, é preciso comover e fazer o povo perceber os males que fazem para todo o meio-ambiente desmatando as florestas restantes.

Deixe um comentário »

As alunas e alunos devem elaborar uma árvore geneálogica de suas famílias para descobrirem de onde vieram seus antepassados.

Minha familia não é de imigrantes porque eu sou europeu, minha família e cem por cento espanhola exceto a mulher do meu tataravô que veio de Cuba para Espanha. – Rafa

Minha família descende de espanhóis, que vieram para o país um pouco mais tarde do que esse período de imigração em massa – por volta dos anos 30. Além disso, tenho ancestrais alemães, de uma época mais remota, e portugueses. – Rodrigo

 

Deixe um comentário »

Quais foram os principais grupos de imigrantes que vieram para o Brasil durante o século XIX, descubra a suas nacionalidades e quantidade

Os principais grupos vindos ao Brasil no período da modernização do país com o plantio de café, entre o final do século XIX  e início do século XX, foram os italianos, espanhóis, portugueses, japoneses e alemães.

Essas informações podem ser vistas no gráfico à esquerda, que mostra a maioria absoluta de italianos, seguidos pelos portugueses, espanhóis, alemães, japoneses e sírios/turcos. O ápice da imigração ocorreu no início do século XX.

Deixe um comentário »

Imagens dos Imigrantes

Este slideshow necessita de JavaScript.

Deixe um comentário »

Para incentivar a imigração o governo criou dois sistemas de apoio, a Parceria e o Colonato, pesquisem o signficado dos dois sistemas, para descobrirem suas principais diferenças.

O sistema de Parceira foi um acordo feito entre os imigrantes e os fazendeiros, em que os fazendeiros custeavam a viagem dos imigrantes e eles os pagavam com trabalho. O sistema não deu certo “em razão dos elevados juros cobrados sobre as divídas assumidas pelos colonos para trabalharem no Brasil, os maus tratos recebidos e o baixo preço pago pelo café cultivado.” (www.historiadigital.org)

O sistema do Colonato surgiu para conter os gastos dos imigrantes e assim seus salários superarem suas dívidas. Os imigrantes seriam remunerados com pedaços de terra onde poderiam cultivar por sua subsistência. O sistema possibilitou a mudança para o trabalho livre na agricultura brasileira.

Deixe um comentário »

Explique porque D. Pedro II criou a Lei de Terras logo após a criação da Lei Eusébio de Queirós

A Lei de Terras, que foi expedida no ano de 1854, criava um sistema mais justo de divisão de terras, e foi outorgada após a Lei Eusébio de Queirós, que impedia a entrada de novos escravos no país, uma vez que a mão de obra paga se tornava cada vez mais proeminente.

Com o aumento da mão de obra paga, os donos de terra eram responsáveis por muito mais gasto e a mesma renda de sempre; com isso, a Lei de Terras surgiu dando terras para aqueles que agora tinham condição de pagar por elas e as retirando dos senhores que ficavam cada dia mais endividados.

Deixe um comentário »

Por que o produtores de Café preferiram empregar imigrantes europeus ao invés de trabalhadores livres nacionais?

Os produtores de café achavam que a mão de obra europeia melhor do que a mão de obra livre brasileira, acreditando ser de certa forma mais eficiente.

Os brasileiros acreditavam que com a vinda de europeus para o território brasileiro, nossa raça “se purificaria”, uma vez que havia indíce muito grande de negros e indígenas àquele tempo.

Deixe um comentário »

Porque os imigrantes vieram para o Brasil? Qual a relação com a Lei Eusébio de Queirós de 1850?

A Lei Eusébio de Queirós, outorgada a meados do século XIX, impactou – e muito – na história do Brasil em como vemos o país em dias atuais. A proibição da entrada de escravos em território nacional fez com que a mão de obra ficasse mais valiosa e a ideia da mão de obra paga adentrasse a mente dos produtores de terra.

Entretanto, não havia agricultores suficientes em território nacional que suprissem a demanda, que aumentava com a impedição do tráfico negreiro no Brasil, e logo iniciou-se uma campanha para trazer europeus pobres, seduzindo-os para uma “vida melhor”.

 

Deixe um comentário »